Fórum Popular de Saúde do Estado de São Paulo

Fórum Popular de Saúde do Estado de São Paulo

ATO EM DEFESA DA SAÚDE PÚBLICA: contra os ataques do Governo Pannunzio à saúde.



Dia 07/12/2013, às 9h30, no Cruzamento da Boulevard Braguinha com a Barão de Rio Branco.

A Secretaria de Saúde do Governo Pannunzio (PSDB), vem fazendo um ataque sistemático contra a saúde pública em Sorocaba, piorando o já deficitário serviço de saúde oferecido à população do município. Entre os muitos problemas que o Fórum Popular de Saúde – Sorocaba vem denunciando, no último período, o Secretário de Saúde tomou decisões que vem na contramão dos interesses da população e dos trabalhadores da saúde, são eles:

- Cancelamento do atendimento infantil na UPH da Zona Norte, fazendo com que a população local tenha que deslocar as crianças para a UPH da Zona Oeste, dificultando muito o atendimento que já era deficiente. A mesma situação ocorre com o atendimento adulto, agora centralizado na UPH da Zona Norte. Para medida de tamanho impacto, em nenhum momento a Prefeitura consultou a população das regiões afetadas;

- Burocratização no atendimento do Pronto Socorro (Santa Casa): essa decisão do prefeito, faz com que obrigatoriamente todo atendimento passe por triagem em outras unidades de saúde, para só depois ser encaminhado ao Pronto Socorro. Isso, no nosso entendimento, burocratiza, dificulta e aumenta o tempo de espera para os pacientes.

- Falta de médicos e funcionários: mais uma vez a Prefeitura não conseguiu preencher o número de vagas necessárias para suprir a demanda da população, no último concurso somente metade das vagas de médicos foram preenchidas. Isso reflete a política do Governo Pannunzio (PSDB) de falta de valorização dos funcionários públicos municipais e significa para a população mais um período de grandes filas para o atendimento nas unidades de saúde;

- Privatizações e terceirizações nas UPHs: o Secretário de Saúde, Armando Raggio (PSDB), continua insistindo sistematicamente na defesa da privatização (terceirização) da saúde pública municipal. Percebendo a rejeição a essa política ele simplesmente mudou o termo para “contratualização”. Mudou-se a palavra, mas o significado prático é o mesmo. Essa decisão precariza ainda mais a situação dos funcionários públicos municipais, por isso, nós do Fórum Popular de Saúde, somos contrários a essas medidas. Entendemos que os processos de privatização da saúde acabam privilegiando “alguns grupos” econômicos, em detrimento da maior parte da população, fazendo da saúde um grande negócio;

Venha conosco! Participe das atividades em defesa da saúde pública de qualidade!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.