Fórum Popular de Saúde do Estado de São Paulo

Fórum Popular de Saúde do Estado de São Paulo

[08/04/17] Ato contra o desmonte do SUS - Saúde não é mercadoria








Para lembrar o dia mundial da saúde, o Fórum Popular de Saúde de São Paulo realizou uma intervenção política neste último sábado, 08/04/17. A concentração aconteceu no vão livre do MASP, ao som da nascente bateria do Fórum e de panfletagens junto ao diálogo com os transeuntes. A proposta era seguir em marcha pela Paulista e passar por dois pontos simbólicos do processo pelo qual passa a Saúde na cidade e no Estado: o hospital privado Sírio-Libanês e a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

O Sírio, hospital conhecido pelo atendimento a ricos e famosos tornou-se um "parceiro" de gestores na administração do SUS na Capital, por meio de processos de terceirização via contrato de gestão de unidades públicas (com a responsabilidade de contratação de profissionais e execução de previsões numéricas de contrato). Tem assumido papel também no SUS em nível federal por meio de programas de formação de profissionais, tendo como contrapartida à certificação de filantropia - que garante isenções fiscais à organização que embora tenha esse certificado, continua visando lucros como qualquer empresa. Na outra ponta, a Santa Casa, endividada pela suspeita de desvios de verba por membros relacionados ao governo do estado, de Geraldo Alckmin, e interrompendo atendimentos, exames e cirurgias.                      

 O Sírio foi "cercado" com fita de isolamento, pelo risco de contaminação privatista no SUS - a representação da venda da saúde da população como mercadoria. Na Santa Casa, o encerramento do ato, com palavras de ordem lembrando que o SUS é nosso, ninguém tira da gente: direito garantido não se compra e não se vende!

O Ato contou com bastante apoio da população tendo em vista que é praticamente um consenso que a saúde pública em SP e no restante do Brasil não anda nada bem.

Continuaremos nas ruas e em nossos locais de trabalho e estudo na resistência por um SUS público, gratuito e de qualidade e em defesa da seguridade social (saúde, previdência social e assistência)!


































Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.